Notícias

Santuário apresenta o seu novo Brasão

Por ocasião do Ano de São José, convocado pelo Papa Francisco e celebrado de 08.12.2020 a 08.12.2021, e do aniversário de dez anos de instalação do Santuário, a reitoria realizou pesquisas e decidiu encomendar ao artista baiano e especialista em heráldica, Diego S. Rêgo (No Instagram: @DOM Heráldica), a confecção do Brasão do Santuário São José de Ribamar, bem como de outros materiais acessórios (carimbo, bandeira...). Diego teve oportunidade de pesquisar sobre a história e a devoção ao Padroeiro do Maranhão e também conversou com o reitor e o vice-reitor do Santuário, padre Cláudio Roberto e padre Guto Feitosa, respectivamente, para colher informações e confeccionar o brasão.

A heráldica (ciência/arte de descrever brasões e emblemas) surgiu na Idade Média e seu objetivo era desenhar a história de famílias, instituições... através de símbolos e cores. Segundo o artista baiano, que há quase dez anos trabalha nessa área e já confeccionou mais de 200 brasões: “Foi uma surpresa imensa poder fazer o Brasão do Santuário, porque acabei conhecendo a história e fiquei impressionado. Hoje me vejo obrigado a conhecer o Maranhão e nosso São José!”

Diego já confeccionou, no Maranhão, os seguintes brasões: Diocese de Grajaú; Seminário Menor São João Maria Vianney, da Arquidiocese de São Luís; Paróquia São José e São Miguel, Barra do Corda; Paróquia São José da Providência, Barra do Corda; Paróquia Santa Luzia, Genipapo dos Vieiras.

Segue abaixo, o Brasão do Santuário e sua descrição solene:



Descrição heráldica


Escudo partido e cortado. 1: de ouro, um lírio com três floresao natural. 2: de azul, um barco de ouro com velas de prata, encimado por três estrelas de prata em barra. 3: de azul, quatro faixa onduladas de prata com flor de lis de ouro brocante. Como divisa, num listel de prata, a inscrição “Santuário São José de Ribamar”, “09.09.2011”, ao longo das dobras, tudo em capitais de negro. O conjunto pousa brocante numa cruz hastil ouro cravejada de rubis.





Justificação Simbológica

O brasão do Santuário São José de Ribamar destaca a devoção e história tricentenária do santo nas terras maranhenses. Na primeira parte do escudo, o lírio alude ao Patrono São José, milagroso e farol de virtudes para os romeiros e devotos aclamado e reconhecido como Padroeiro do Maranhão.

O lírio com três flores alude à imagem venerável de São José de Ribamar constituída de três pessoas: de Jesus, Maria e José, a Sagrada Família. O campo em ouro recorda a santidade reluzente, da qual Deus é a fonte. Ao lado, o barco memora a intercessão de São José nas águas turbulentas, prometendo que, caso elas se acalmassem, um templo seria erguido em seu título, arriba do mar (Ribamar).

As estrelas recordam as grandes romarias noturnas, abençoados pela Santíssima Trindade. As romarias à casa do pai José, por sua vez, são símbolo da peregrinação do povo ao encontro do seu Deus.

Logo abaixo, a flor de lis e as ondas recordam a Arquidiocese de São Luís. A flor de lis atribuída a São Luís da França; as águas simbolizam o oceano que circunda grande parte do território arquidiocesano.

O escudo e o listel assentam-se na cruz hastil, remetendo à Cruz de Cristo, Mistério Pascal de Jesus, fundamento da liturgia cristã e da nossa fé; a cruz que abre nossas liturgias e as nossas procissões indicando Jesus Cristo, o Bom Pastor que, através de sua Igreja e de seus ministros, caminha à frente e conduz o seu povo.





Outras Postagens